Parto Rio de Janeiro-RJ

Hugo

Acho que uma boa parte do meu amor por trabalhar com partos se dá pelo fato de eu poder testemunhar de pertinho mulheres que eu admiro e com quem me identifico, enfim,  experimentarem sua natureza nua e crua num parto redentor após terem sudo privadas de viver isso em gestações anteriores. E o parto da Fabi teve esse gostinho de redenção, um quê de lavar a alma, ressignificar muita coisa pra todos os presentes.


Ainda tem o fato de ser um parto que mostra que vez em quando, uma analgesia bem feita, respeitosa e bem indicada pode colocar tudo nos trilhos e fazer fluir lindamente um parto que esteja enfrentando alguma dificuldade qualquer. Fabi enfrentou pródromos muito longos, de muitos dias. Estava cansada. O cansaço, associado à progressão lenta fez a analgisia ser super bem indicada. Lá fomos nós, obstetras, doula, fotógrafa, pediatra e anestesista junto com a Fabi pro Centro Cirurgico só pra tomar a analgesia (é protocolo nesse hospital, onde a sala de parto normal fica fora do mesmo). E tudo fluiu dali.


PRa mim, o posto alto foi o momento em que os avós e a tia do Hugo o conheceram. Interceptaram-no no corredor e foi aquela festa. Uma festa que a Fabi não testemunhou, mas vai ver agora, através das fotos!