Casamento Rio de Janeiro - RJ

Bruna e Hugo

Eu sou muito privilegiada pois quase todos os casais que me procuram para fotografar o começo de suas famílias têm histórias muito especiais e emocionantes. Mas alguns são bem especiais e mexem demais comigo. A Bruna e o Hugo foram desses.


A Bruna havia me contado que o pai do Hugo havia falecido no início do ano e que a realização do casamento era algo que ele desejava muito fazer. Mas nada poderia me preparas para o que eu ia testemunhar no dia. 


Acontece que o sogro da Bruna era um desses patriarcas (no melhor sentido da palavra) que todo mundo ama. Cheio de histórias, exemplo pros filhos, um cara apaixonado, divertido e festeiro, que era muito querido por toda família. O casamento deles havia sido adiado pela pandemia e ele não se conformava. Foi ele que decidiu então fazer uma festa na casa que ele mesmo construiu pra família e onde eles viveram tantas histórias. Ele começou então a reformar o telhado, o quintal, pintar, consertar coisas, pra receber a família e os amigos, quando tudo fosse mais seguro. Um sonho que ia se tonando real graças à ele.


Só que, enquanto eles planejavam o casamento, o pior aconteceu. Essa pandemia, que já tinha levado tantos sonhos, levou ele também. E de novo, tudo foi adiado.


A casa seria vendida. Muitas memórias que eram queridas, agora pesavam. Mas eles decidiram reunir forças e fazer o casamento que o pai do Hugo queria ter feito, no lugar que ele havia decidido.


E assim aconteceu. O casamento que seria uma grande festa, foi uma cerimônia intimista, transmitida para muitos que torciam pela felicidade do casal online. A cadeira do pai do Hugo foi colocada para ele no altar, com a bandeira do seu Fluminense querido o representando. Sua presença podia ser sentida no ar com tanta nitidez que a previsão de chuva deu lugar a um céu azul flocado de nuvens lindo que iluminou toda cerimônia do início ao fim. Foi um desses dias que são claramente abençoados.


Ao ir embora eu desejei à Bruna e ao Hugo algo que eu espero que eles se lembrem sempre: que eles jamais esqueçam de honrar essa ancestralidade tão poderosa e protetora que os acompanha.